quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Que pena da USP ;-)


          Dizem que o centro do furacão é o lugar mais seguro que existe quando ele está dando seu assustador show. Eu jamais faria o teste para comprovar, mas posso afirmar que nas últimas semanas algo semelhante a essa informação ocorreu comigo e agora que o vento parou de soprar violentamente, eu consigo ordenar as idéias e seguir relatando essas tempestuosas rajadas de vida. Na verdade, só mesmo passando pelo o que houve que eu teria condições e sensações justas para escrever por aqui novamente.
          Primeiro: “Felicidade, passei no vestibular...” e a faculdade não é particular, não. Nada contra, nem a favor, porém um ser como eu que foi “criado para ser operário” não pode deixar de refletir sobre essa escalada ego-socio-mental, se me permitem um neologismozinho. Foi na UFBA – Universidade Federal da Bahia. Da Baêa, viu! É! Segundo: como venho aprendendo nessa minha caminhada e com minha comunidade, eu me preveni. Inscrevi-me na FUVEST, que promove o vestibular da USP – Universidade de São Paulo, porque já moro em São Paulo há um quarto de século e é inegavelmente mais cômoda a permanência na cidade etc. Como (não) era de se esperar, mordi a vaga dessa porra também. Agora, veja você o que um indivíduo pode causar a ele mesmo. Por imensa ironia do destino, o grande agente fortificante e propagador desse furacão que passou foi justamente conseguir a vaga aqui de São Paulo, afinal a grifezinha USP é algo desejável por exatamente todos os mais de cento e trinta mil inscritos no processo seletivo desse ano. Todo esse espetáculo da natureza foi encarado de lá da cidade que agora vai me agüentar por algum tempo, por isso a relação com o centro do furacão. Imunizado das influências que Sampa certamente exerceria sobre as minhas decisões, não tive muitas crises para escolher meu caminho agora nessa troca ciclo.

          É uma pena que a USP não vá poder contar com mais essa mente e espírito irrequietos pelos próximos anos, enquanto é gratificante saber que alguém da lista de espera será contemplado pela vaga. Porque é melhor ser o último da lista de aprovados - quase o meu caso - do que ser o primeiro da lista de espera. Ora, nem todo mundo larga o osso assim como eu optei fazer em prol da formação subjacente que me proporciona a cidade de Salvador/BA, onde o curso de Letras começa no mês que vem.

          Agora, que a brisa da satisfação paira e faz eu me acostumar a sentir-me bem, começa a correria (sem angústia) de encontrar um lar perto do Campus de Ondina, mas para quem enfrentou de dentro um furacão, dormir uma ou outra noite ao relento até parece formação básica. Claro que “remanejar” essas aulas seria ótimo, não é mesmo? Hééin!

2 comentários:

  1. Oii ... Você escreve muito bem, sempre leio seus posts. Esse ano tbm tento a UFBA, e espero muito passar, por mais complicado que pareça olhando aqui do mês de março. Boa sorte ...

    ResponderExcluir
  2. Olá Lucas

    Obrigado! Você vai passar. Simplesmente por estar pensando no vestibular desde agora.

    Bons estudos.

    ResponderExcluir