segunda-feira, 28 de março de 2011

Orgânica



Eu busco uma forma mais orgânica de escrever.  Uma forma que me proporcione criar textos assim que eu me disponha a fazer isso e dessa forma esse processo siga num fluxo agradável de encontro com as palavras exatas para esse propósito. A força dessa busca é alimentada por acontecimentos quase secretos, de tão únicos que são. Ou vice-versa.
Quem não se lembra daquele olhar exato que recebeu na hora exata do dia exato? Ou de ouvir algo divisor de águas? Momentos como esses que nos formam e desenham nossas movimentações. Saber que seus esforços agradam, ao menos, uma pessoa é como satisfazer-se através d@ outr@. É conseguir fazer manifestar n@ outr@ algo que em você é vital. Algo orgânico, de fato.
Essa relação que naturalmente surge entre a origem e um receptor de uma criação é o que, pessoalmente, mais me inspira. Como se algo em comum entre essas partes se identificasse e agisse comunitariamente. Eu sempre gosto de pensar que sim. O comunitário, ou a comunidade, que nesse espaço é representado pela Web, também fornece à minha busca o que eu chamo de escrever de forma orgânica porque faz o papel de biosfera.
Dessa forma, minha busca segue um rumo natural. Quase orgânico, que talvez inconscientemente, ou não, deseja contribuir para que a vida nessa biosfera siga evoluindo. Ou se movimentando, como prefiro enxergar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário