sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

"Quatrocentos e cê senta?"


Hoje minha cidade natal completa quatrocentos e cinquenta e noves anos. Entre amigos eu perguntaria:

- Quatrocentos e cê senta?            (, ~~)
- ... e cinquenta e nove.                                       (¬ ¬)
- cê senta?                                       (, ~~)  
- tá surdo? cinquenta e nove!                               (¬ ¬.)
- cê senta em nove?                          (, ^^) 
- CINQUENTA E NOVEEE!                                     (,¬¬)
-hiiihihihihi nunca me enganooou...    (^_^)

São Paulo foi meu habitat até o início de dois mil e onze e ainda pulsa em mim uma veia babilônica. Sempre vai pulsar. "Você sai do gueto, mas o gueto nunca sai de dentro de você".

Sempre que encontro alguém que foi ou vai para essa cidade, logo pergunto se o motivo é trabalho. Não por querer alimentar a fama (certa) de local frenético de oportunidades, seja lá quais elas sejam. Mas por procurar alguém que vá para lá no deleite das férias.

Conheço apenas uma amiga que faz isso, a linda Dora, dona da loja Com amor, Dora.

Vivendo aqui em Salvador, eventualmente sinto saudade de algumas nuances da terra da garoa. Da COHAB de Carapicuíba. Da R. Augusta, lado centro, entre 00:00hs e 03:00hs da madruga. Do Morro do Querosene e de alguns balcões de bar.

Não seria nenhuma bobagem estar hoje pelos arredores da R. Cardeal Arcoverde. Um porre no Gonzaga e o presente de aniversário seria para mim.

Aliás, isso vale registro: São Paulo é uma ótima cidade para se tomar um porre. Mas, saia com amigos.

Eu não poderia deixar de intentar uma homenagem, posto que hoje é sexta-feira - a nossa menina dos olhos -  e que em Sampa é feriado! Aeeee!!!


Neste dia, terra minha
que recebes, mesmo dura
mesmo cinza
as mais belas meninas
atrizes e bailarinas
desejo ainda mais:
boas companhias
e que as pessoas que em ti vivem
também te soprem vida

~~~

Saudades vorazes de amigos e amigas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário