domingo, 21 de dezembro de 2014

Grave


o som grave
tremendo o chão
é meu atual neon
meu zoom
íntimo na pista
livre
mais alto, mais alto
eu lato: me exalto!
sinto o grave no peito
rachando a gravidade
dos sentimentos
sou refeito sob efeitos
sujeito doce
num quarto crescente
com tato apurado
e pensamento rápido
grave no peito a tatuagem
grave na mente a miragem
a pista ferve
pra quem tem coragem
malandragem
pitada de sacanagem, suave
eu sou grave, raiz agave
que destilada bate
mais grave, mais alto
mais doce, mais tato

o som grave
é meu novo retrato.

2 comentários:

  1. Curti, seu trabalho está cada vez mais interessante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Tadeu!

      Agradeço de coração cheio!

      Anderson Lopes

      Excluir