terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Parar é cair


O não-querer é uma corda bamba. A iminência da queda é nítida, devido a gravidade da lei. A cada passo, o desequilíbrio constante nos conduz ao movimento e parar é cair.

Para não-querer, talvez seja necessário alcançar algum grau de meditação. Algo em torno da concentração involuntária gerada pela prática. Alguém me ensinou que meditar não era esvaziar a mente, pois isso seria quase impossível. Disse que deveríamos desprender-nos de todo pensamento que surja durante os momentos de meditação, deixando-os sem reflexão e vagando até que outros pensamentos surjam e também vaguem, fazendo com que a nossa capacidade de não se prender aos pensamentos diversos esteja desenvolvida e involuntária, se preciso fosse.

Advirto: com o verão fica difícil manter essa concentração. O sol bate na gente e contamina de energia, de provocação, aquecendo fluidos e emoções. Como não-querer nessa conjuntura?

Neste momento da vida sinto a necessidade de ser flexível. Ser flexível com esse tema significa, primordialmente, não fixar ideias sobre tudo e todos. Assim sendo, posso não-querer (da maneira filosófica que venho tentando elaborar) e ao mesmo tempo posso desejar algo ou alguém. Não posso criar conflito com isso, porque o desejo é algo natural que vem e vai, e graças às deusas, voltam.

No verão, desejamos mais ainda! Um dos mestres da minha vida diz: "No verão, ninguém tem razão!"

E é isso mesmo. Verão é emoção e não razão. Aliás, desta eu nem sei muita coisa, mas daquela...

A corda bamba está aí e tenta o equilíbrio quem quer.

Percebo agora que o não-querer está mais próximo da liberdade de viver e amar do que eu poderia supor e de que a expressão poderia sugerir. Flertando muito com a ideia de não possuir, não ser exclusivo, mas também não significando ser poli ou pan, se é que me entendem, o não-querer deve ser parte da tal "reLOVElution" que se conclama pelo mundo.

Nesse passo miúdo em que caminho o desequilíbrio é tão constante quanto o equilíbrio. Um suporta o outro, sempre caindo e recuperando. Movimento é vida, todo mundo sabe disso.

Parar é cair.

Um comentário: